tdis

Confiança nos Dados

A chave para a agilidade de uma organização.

O já volumoso conjunto de dados global não mostra sinais de desaceleração, pelo contrário, espera-se que os volumes de dados digitais atinjam mais 50 ZB (zeta bytes) em breve. Para colocar em perspectiva – isso equivale a 57 vezes cada grão de areia em todas as praias do mundo.

No entanto, o grande volume de dados em nossas mãos hoje não se traduz em níveis equivalentes de ações e insights confiáveis. Isso é um problema, pois os dados nunca foram tão importantes como agora.

A incerteza desencadeada pelas oscilações nos mercados aumentou a necessidade de visão de futuro com insights em tempo real para prever cenários. Dados ativos acionáveis são o fator mais crítico da transformação digital.

Uma pesquisa recente da Capgemini – The data-powered – demonstra que a maioria das decisões em uma organização são tomadas de forma reativa. Embora tenha ocorrido progresso no uso dos dados para tomada de decisões, a maior parte das organizações permanece com um olhar reativo voltado para o passado (descritivo) ou ainda para o porquê aconteceu (diagnóstico).

No processo de tomada de decisão, a pesquisa demonstra que:

  • 23% das vezes as organizações utilizam análise preditiva (o que pode acontecer no futuro).
  • 18% das vezes as organizações utilizam abordagens prescritivas (que forneçam recomendações para melhorar os resultados).
  • Apenas 8% das vezes as organizações usam um sistema autônomo (sistemas e processos que ajudam usuários de negócios a tomar decisões com a finalidade de atingir um objetivo pré-estabelecido).

A confiança nos dados também é um fator preponderante para a agilidade, colaboração e geração de valor dentro de uma organização. A mesma pesquisa revelou algumas diferenças notáveis entre os executivos que disseram confiar plenamente nos dados e aqueles que não confiam nos dados que recebem.

  • Organizações em que os executivos confiam nos dados são mais ágeis: Das organizações em que os dados são confiáveis, 79% delas se consideram mais ágeis e 62% dizem que podem acessar os dados na velocidade que precisam. No entanto, das organizações em que os dados não são confiáveis, apenas 33% se consideram ágeis.
  • Organizações em que os executivos de negócios confiam nos dados são mais capazes de impulsionar a colaboração multifuncional para alavancar insights: Das organizações em que os dados são confiáveis, 77% delas se orgulham de uma melhor colaboração multifuncional.
  • Organizações em que os executivos de negócios confiam em dados são mais capazes de monetizar dados: Das organizações em que os dados não são confiáveis, apenas 24% dessas organizações são capazes de monetizar dados em comparação com 83% onde os dados são confiáveis.

Criar uma cultura na organização de tomada de decisões orientada por dados vai além das tecnologias utilizadas. Diante do nosso acelerado mundo VUCA (acrônimo em inglês para volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade), não há como relegar a necessidade vital de ler, entender e falar dados. Isso é tão importante quanto a alfabetização primária. Contudo para garantir que esses dados sejam confiáveis e façam algum sentido, dependerá dos processos e tecnologias utilizados na organização.

Bem-vindo ao maravilhoso mundo, não tão novo, dos dados!

Artigos Relacionados

Notícias

Não Seguir a Ponta do Nariz

Por Hermes Freitas. A falta de um planejamento estratégico de Analytics e BI gera sombras tecnológicas dentro das organizações e, pior do que isto, superposições

Notícias

LGPD: Chegou o momento das sanções

Temos acompanhado durante um ano diversas notícias, webinars e artigos sobre a chegada do momento das sanções. A partir de 1º de agosto deste ano entram em